fbpx

Sign in

fechar
Create an Account

Carrinho de Compras

fechar

ENVIO IMEDIATO ATÉ 48 HORAS | ENVIO GRÁTIS EM COMPRAS SUPERIORES A 45 €

Conselhos de Saúde

Quedas: como prevenir
Conselhos de Saúde

Como prevenir as quedas

QUEDAS

Dicas de Prevenção de Queda para Idosos e Cuidadores

Há quedas/ acidentes simples que podem mudar a sua vida para sempre, como tropeçar num degrau de 5 cms ou escorregar num tapete ou chão molhado. Se cair, pode partir um osso e isto pode ser o início de uma série de problemas, como uma ida ao hospital, ferimentos graves ou mesmo uma incapacidade permanente.

Cerca de 30% dos idosos já caíram alguma vez, sendo que 8% dessas quedas provocam lesões graves com risco de morte. Sabe-se ainda que 28% das mortes nas pessoas idosas ocorrem por consequência direta das quedas.

As quedas podem causar fracturas ósseas, tais como pulsos, braços ou ancas e podem até causar lesões cerebrais. A maioria das lesões que afectam as pessoas mais velhas são o resultado de quedas, mas as quedas não acontecem apenas quando envelhecemos. Na maioria das vezes, as quedas ocorrem devido a um ou mais factores de risco. Estes incluem a sua condição física ou um problema médico, bem como perigos de segurança no seu ambiente doméstico ou comunitário. Os factores de risco pessoais incluem fraqueza muscular, especialmente nas pernas; mau equilíbrio e dificuldade em andar; bem como uma queda súbita da tensão arterial (hipotensão postural) quando nos levantamos rapidamente depois de estarmos deitados ou sentados.

 

Factores de risco pessoal para quedas:

A maioria das quedas são causadas por uma combinação de factores de risco. Quantos mais factores de risco tiver, maiores são as suas probabilidades de sofrer uma queda.

  • Fraqueza muscular;
  • Mau equilíbrio e dificuldade em caminhar independentemente;
  • Hipotensão postural (queda súbita da tensão arterial quando se levanta rapidamente depois de ter estado deitado ou sentado);
  • Problemas nos pés ou calçado inapropriado;
  • Falta de visão clara, uso de óculos com graduação desajustada ou outros problemas oculares, como cataratas ou glaucoma;
  • Efeitos secundários de certos medicamentos que causam tonturas ou confusão;
  • Reflexos mais lentos;
  • Quedas anteriores;
  • Doenças crónicas tais como artrite, tensão alta, diabetes, AVC ou doença de Parkinson;
  • Ter um controlo mais fraco da bexiga (incontinência urinária) e precisar frequentemente de ir à casa de banho;
  • Ter demência, depressão ou saúde débil;

Esteja também atento a alguns sinais de fragilidade: necessidade de se agarrar a paredes, móveis ou a outra pessoa quando caminha; dificuldade em levantar-se de uma cadeira ou do sofá ou em sair da cama. Estes são sinais de que poderá ser a altura de consultar um fisioterapeuta ou um terapeuta de reabilitação. Estes profissionais podem ajudá-lo a melhorar o seu equilíbrio, força e marcha através do exercício. Podem também sugerir uma bengala ou um andarilho e fornecer orientação sobre como utilizar estas ajudas técnicas: deve seguir os seus conselhos e lembre-se que ajudas técnicas erradas ou mal ajustadas podem aumentar o risco de queda.

 

O medo de cair:

O medo de cair torna-se mais comum à medida que as pessoas envelhecem, mesmo entre aqueles que nunca caíram. As pessoas que caem frequentemente podem desenvolver um medo de cair, o que as pode levar a reduzir os movimentos, a ter reflexos mais lentos e a diminuir ou cancelar actividades diárias, como fazer compras ou participar em actividades sociais. Como resultado da redução da actividade física, a pessoa fica mais fraca e isto aumenta o seu risco de queda. Embora as quedas possam acontecer devido a acidentes ou factores de risco, na realidade muitas vezes podem ser evitadas.

Não deixe que o medo de cair o impeça de ser activo. Superar este medo pode ajudá-lo a manter-se activo, manter a sua saúde física e assim evitar futuras quedas. Sair com amigos, fazer jardinagem ou caminhar pode ajudá-lo a manter-se saudável. A boa notícia é que existem formas simples de prevenir a maioria das quedas.

 

Dicas para Prevenir e Reduzir o Risco de Quedas:

  1. Pratique exercício de prevenção de quedas regularmente

Realizar actividade física regular irá fortalecer os seus músculos e ajudar a aumentar a sua flexibilidade e resistência. Tente realizar exercícios de força e equilíbrio pelo menos duas vezes por semana. Descobrirá que o seu equilíbrio e marcha irão melhorar, e reduzir o risco de queda. A actividade física regular irá também reduzir os sintomas de hipotensão postural.

 

  1. Mantenha os seus ossos fortes

Quando os ossos estão fracos, tendem a partir-se mais facilmente:  isto é conhecido como osteoporose. Ao ingerir diariamente alimentos ricos em cálcio em quantidade suficiente, pode manter os seus ossos fortes. Exemplos são leite com baixo teor de gordura e alto teor de cálcio, sardinhas e queijo. A obtenção de uma dose adequada de vitamina D proveniente de luz solar também ajuda a manter os ossos saudáveis.

A vitamina D ajuda o nosso corpo a absorver o cálcio dos alimentos que ingerimos. Pode ser encontrada em ovos, óleo de fígado de bacalhau ou peixe gordo, como atum, salmão e sardinhas. A melhor maneira de obter vitamina D suficiente é dar uma caminhada ao ar livre. 15 a 30 minutos de exposição à luz solar todos os dias é o recomendado. Contudo, deve evitar actividades ao ar livre durante o período mais quente do dia (10:30 às 16:30).

Existem ainda suplementos alimentares que têm na sua composição cálcio e vitamina D.

 

  1. Faça exames regulares aos seus olhos

Faça um exame aos olhos pelo menos uma vez por ano. O seu médico também será capaz de detectar algum problema ocular, como glaucoma ou cataratas, ou se os seus óculos têm a graduação correcta ou desajustada.

 

  1. Use sapatos antiderrapantes

É importante seleccionar calçado que lhe dê uma base segura no chão, o que reduz assim o risco de escorregar. As solas antiderrapantes são essenciais para uma boa aderência. Assegure-se de que os seus sapatos são confortáveis e estão bem ajustados ao seu pé.

 

  1. Mantenha a sua casa mais segura

Usufruir de espaço seguro e bem-pensado irão ajudá-lo a viver com maior autonomia no conforto da sua casa:

  • Organize os seus móveis de modo a deixar livre espaço para caminhar à vontade, sem bater em nada;
  • Para evitar tropeçar, assegure-se de que todos os fios estão presos às paredes ou fixe-os fora das zonas de passagem; tenha especial atenção quando estiverem a ser usados aspiradores ou outros equipamentos com fios;
  • Evite usar tapetes sempre que possível, mas quando forem essenciais, use tapetes antiderrapantes, especialmente na casa de banho e na cozinha, para evitar que escorreguem;
  • Instale barras de agarrar na casa de banho ou nas escadas para apoio adicional;
  • Evite molhar o chão e limpe imediatamente a sujidade ou líquidos para reduzir as probabilidades de queda;
  • Mantenha os artigos frequentemente utilizados em locais onde os possa alcançar facilmente: em prateleiras ou armários de fácil alcance; evite usar escadotes, especialmente se estiver sozinho, e nunca utilize bancos ou cadeiras para chegar a locais mais altos;
  • Mantenha a sua casa bem iluminada para que possa ver claramente. Considere adicionar mais luzes às áreas escuras, tais como escadas, e colocar uma luz de presença no caminho para a casa de banho. Considere trocar os interruptores tradicionais para interruptores iluminados, ou use fita adesiva fluorescente que brilha no escuro.
  • Certifique-se de que os seus pés tocam no chão quando se senta na sua cama. Antes de se levantar, sente-se direito por alguns momentos para regular o fluxo sanguíneo.

 

  1. Reveja a sua medicação com o seu médico

Se tomar diferentes tipos de medicamentos, visite o seu médico para uma revisão pelo menos uma vez por ano. Alguns medicamentos podem afectar a sua coordenação ou equilíbrio, ou causar tonturas, confusão ou sonolência, o que pode aumentar o seu risco de queda.

No caso de ter medicação prescrita por médicos (de especialidades) diferentes, informe o seu médico sobre toda a medicação que lhe foi prescrita. Leve consigo quaisquer outras vitaminas, suplementos ou chás medicinais que possa estar a tomar, pois estes podem causar efeitos secundários indesejados quando tomados com a medicação. Consulte sempre o seu médico antes de começar a tomar qualquer tipo de medicamento ou suplemento.

Deve também aconselhar-se com o seu farmacêutico para averiguar possíveis interações entre medicamentos, vitaminas, suplementos ou chás.

 

  1. Teleassistência ou alarme de pânico

Existem vários sistemas de teleassistência que podem ajudar protegê-lo dentro e fora de casa e que garantem uma resposta imediata em situações de emergência. Ao pressionar um botão, o sistema garante 24h por dia/365 dias por ano uma resposta personalizada e imediata em qualquer situação de urgência/emergência.

Este equipamento de pequenas dimensões, que pode colocar ao pescoço ou prender à sua roupa, tem um botão de emergência que estabelece contacto telefónico imediato com uma central de atendimento que o irá ajudar, através de um sistema de comunicação simples, rápido e seguro.

Preferencialmente opte por um equipamento móvel, que possa ser utilizado fora de casa, e com sistema GPS, para permitir identificar facilmente a sua localização. Há aparelhos que também identificam quedas súbitas e fazem uma chamada automática para a central de atendimento. Certifique-se o aparelho que escolher é à prova de água, para poder utilizado quando toma banho – uma grande parte das quedas domésticas ocorrem na casa de banho.

Cada equipamento de teleassistência emite um código de identificação único que permite reconhecer o cliente, mesmo que este esteja impossibilitado de falar. Os dados de identificação e de saúde constantes na Ficha de Dados pessoal, previamente recolhida, fornecem todos os detalhes necessários à correcta triagem e acompanhamento da chamada. Podem ser ativados três serviços de emergência: INEM, Bombeiros e Polícia, e alertar o seu familiar responsável ou contacto de emergência sobre o que aconteceu e de que precisa de ajuda

Este sistema permite que se sinta seguro e tenha assistência em caso de emergência, mesmo que viva sozinho.

 

  1. Evite bebidas alcoólicas

Evite o consumo de álcool, pois pode afectar o seu equilíbrio e reflexos, o que pode resultar em quedas e fracturas ou outras lesões.

 

O que fazer se cair?

Quer esteja em casa ou noutro lugar, uma queda súbita pode ser assustadora. Se cair, mantenha-se o mais calmo possível. Respire fundo várias vezes para tentar relaxar. Permaneça no chão por alguns momentos. Isto irá ajudá-lo a superar o choque da queda.

Verifique se está ferido antes de se levantar. Levantar-se demasiado depressa ou de forma errada pode agravar uma lesão. Se pensa que se pode levantar em segurança sem ajuda, role para o seu lado. Descanse novamente enquanto o seu corpo e pressão sanguínea se ajustam. Levante-se lentamente de mãos e joelhos, e rasteje para uma cadeira robusta.

Ponha as mãos no assento da cadeira e deslize um pé para a frente, de modo a que fique plano no chão. Mantenha a outra perna dobrada de modo a que o joelho fique no chão. A partir desta posição de joelhos, levante-se lentamente e vire o seu corpo para se sentar na cadeira.

Se estiver ferido ou não se conseguir levantar sozinho, peça ajuda a alguém ou ligue para o 112. Se estiver sozinho, tente colocar-se numa posição confortável e aguarde que a ajuda chegue.

Levar consigo um telemóvel ou telefone portátil enquanto se desloca pela sua casa pode facilitar a chamada para alguém se precisar de ajuda. Um sistema de teleassistência de resposta de emergência, que lhe permite apertar apenas um botão para pedir ajuda, é outra opção.

 

Liliana Ferreira & Edite Reis

We Care – Apoio Domiciliário

Tlf. 282 411 723 | Tlm. 961 726 480 | www.wecare.pt

 

Fontes:

 

 

 

Scroll To Top Barra lateral
Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no nosso site. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.