Doença de Parkinson
Conselhos de Saúde

DOENÇA DE PARKINSON : O QUE DEVE SABER

Doença de Parkinson : O que deve saber

No dia 11 de Abril assinala-se o Dia Mundial da Doença de Parkinson, doença que afeta cerca de 20 mil pessoas em Portugal.

A doença de Parkinson é a 2.ª doença neurodegenerativa mais comum. Apesar de se conhecerem casos de início mais precoce, a maioria dos diagnósticos dá-se entre os 50 e os 80 anos de idade, com maior prevalência a partir dos 70 anos. A sua origem ainda é desconhecida, mas os mais recentes estudos referem a combinação entre fatores genéticos e ambientais como os fatores de risco mais comuns. Idade mais avançada, co-morbilidades e deterioração cognitiva podem também ser considerados fatores preditores de um pior prognóstico.

As doenças neurodegenerativas afetam as células nervosas (neurónios), podendo provocar a sua morte. Na doença de Parkinson, as áreas mais afetadas são as células da substância negra, o sistema que transmite sinais que controlam os movimentos do corpo.

Existe, assim, um conjunto de sintomas motores comuns nesta patologia:

  • Tremor de repouso
  • Bradicinesia – lentidão e ausência de movimentos
  • Rigidez – enrijecimento dos músculos, sobretudo nas articulações
  • Instabilidade postural – inclinação do tronco, quedas frequentes

 

Na maioria dos pacientes, o tremor é a primeira queixa, assim como uma maior rigidez nos movimentos. No entanto, a bradicinesia é um dos principais sintomas da doença de Parkinson.

Esta condição revela-se através da diminuição progressiva da velocidade e amplitude dos movimentos executados.

Abrir e fechar a mão
Bater repetidamente com o calcanhar no chão
Diminuição da destreza e/ou distúrbios da escrita
Movimento corporal espontâneo
Face inexpressiva ou imóvel
Diminuição do pestanejo
Voz com menor volume
Caligrafia mais pequena, por vezes impercetível

 

A manifestação que mais interfere com as atividades normais é a incapacidade dos doentes em executar facilmente as atividades motoras comuns. Porém, a bradicinesia não está associada a qualquer distúrbio da força muscular ou da coordenação. É fundamental averiguar se um estilo de vida mais sedentário, uma má nutrição, estados depressivos e outras condições de saúde não estarão a influenciar o aparecimento de certas condições clínicas.

Há também uma combinação de fatores não motores como a perturbação do olfato, problemas de sono, depressão/ansiedade, dor, fadiga, alterações cognitivas ou perda de peso que terão também de ser avaliados e devidamente orientados para produzir uma vida mais ajustada e equilibrada.

Se reconhece em si ou noutra pessoa alguns dos sintomas descritos fale com o seu médico .

 

Tânia Paias

Psicóloga Clínica e da Saúde

Neuropsicóloga

Rua António Dias Cordeiro nº 19 Portimão

 

Fontes:

http://www.medicine-worldwide.de/krankheiten/neurologische_erkrankungen/parkinson.html

www.mayo.edu/fpd/home/intro.htm

https://www.apdaparkinson.org/

https://actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/view/11978

 

Faça mais por si, nós estaremos aqui! Por um envelhecimento ativo e saudável!

 

Quer ter acesso a mais artigos de saúde ?👇
Veja o nosso Blog : Conselhos de saúde

 

Junte-se à nossa comunidade 👇
Facebook Instagram | Youtube

 

Quer falar connosco e pedir-nos conselhos e recomendações ?👇
Envia-nos mensagem por Whatsapp : 910537604

 

Veja aqui as nossas promoções👇
Loja Online